1. O FC Porto deixou dois pontos em Alvalade. É esta a ideia que fica na cabeça de quem assistiu ao primeiro clássico da época. Os portistas fizeram uma primeira parte avassaladora, em que mal deixaram o Sporting respirar, e uma segunda parte em que tiveram as oportunidades de golo mais claras, apesar de o jogo ter sido um pouco mais equilibrado.

2. O FC Porto manteve o nível de jogo apresentado no Mónaco uns dias antes. A diferença esteve na finalização. E no guarda-redes. Rui Patrício, com sete defesas, algumas de grande qualidade, evitou uma derrota que até poderia ser volumosa. O Marega e o Aboubakar (e mais alguns) foram dois valentes que trabalharam muito e que massacraram a defesa do Sporting, e que também levaram muita pancada, mas foram incapazes de marcar um golo que efectivasse a superioridade da sua equipa. Verdade seja dita que também faltou uma pontinha de sorte, com duas bolas a embaterem nos ferros da baliza leonina.

3. O carisma e a competência de Sérgio Conceição incutiram nesta equipa factores que a posicionaram num patamar superior. A versatilidade e riqueza táctica e estratégica do treinador do FC Porto permitem encarar cada jogo de forma específica e de alguma forma ir surpreendendo os adversários. Os seus conhecimentos deram profundidade e elasticidade a um plantel que se podia considerar curto. Sob a sua liderança, esta equipa é um verdadeiro exército. Disciplinado, combativo e determinado na procura da vitória.

4. O FC Porto é, neste momento, o mais forte candidato ao título. Percebe-se que do treinador aos jogadores, passando pelos adeptos (que apoio magnífico ontem em Alvalade!) e pela estrutura do clube, há uma grande crença nas capacidades deste grupo e uma clara dinâmica de vitória. A equipa lidera o campeonato, os triunfos e as exibições convincentes vão-se acumulando e, quando não acontecem, como ontem em Alvalade, fica a sensação de que era possível somar os três pontos e fica visível a frustração de todos (é ver as redes sociais) pelos pontos que ficaram por recolher, o que é um sinal evidente de confiança, determinação e ambição.

5. O Sporting tem um bom treinador, excelentes jogadores e um vasto plantel, mas ontem foi totalmente incapaz de surpreender, contrariar ou de ser superior ao FC Porto. Não há crise, mas os últimos resultados deveriam motivar apreensão: a equipa já não ganha há quatro jogos, somando 3 empates e 1 derrota.
No Benfica a situação é bem diferente. A crise é notória e só não se acentuou com o empate na Madeira, porque o empate no clássico deixou tudo igual na classificação. Mas a situação é quase dramática, com a equipa a somar apenas duas vitórias nos últimos oito jogos! Período em que cedeu três empates e três derrotas. Nestes oito jogos, o Benfica marcou apenas 9 nove golos e sofreu 13! Rui Vitória e Luís Filipe Vieira estão em maus lençóis.

Não deixem de me seguir no Twitter em https://twitter.com/jfernandorio