EM ALTA

SELECÇÃO NACIONAL FUTSAL

Portugal sagrou-se campeão europeu de futsal. É um feito notável e merece destaque. Todos estão de parabéns: jogadores, treinadores, auxiliares, dirigentes.

A final foi ganha com grande categoria mas todo o percurso foi brilhante e baseou-se, para além do evidente talento de cada jogador, numa forte união do grupo e na humildade com que foram encarando e ultrapassando cada etapa. Uma lição para quem não acredita no trabalho e que a união faz mesmo a força.

Confesso que (ainda) não sou um adepto incondicional das modalidades que derivaram do futebol mas este título pode levar-me, em definitivo, do campo para a televisão.

 

A SUBIR

FUTEBOL INGLÊS

Ainda estamos a meio da eliminatória mas é já claro o domínio da prova pelos clubes ingleses. Manchester City e Liverpool construíram resultados esclarecedores no terreno adversário e mesmo o Tottenham, empatando 2-2 também na condição de visitante, fê-lo em Turim, na casa da todo-poderosa Juventus.

Vamos ver o que conseguem Chelsea e Manchester United frente a, respectivamente, Barcelona e Sevilha.

Para já, o goal-average indica 11-2 favoráveis aos ingleses e o mais provável é mesmo termos, pelo menos, quatro equipas inglesas nas oito finalistas. É esclarecedor.

ESTÁVEL

FC PORTO

Os azuis e brancos consentiram um resultado histórico (0-5) frente ao Liverpool na 1ª mão dos 1/8 de final da Liga dos Campeões.

Foi duro porque, felizmente, não estamos habituados. E porque podíamos ter feito qualquer coisa mais.

Mas, como atempadamente foi dito e foi lembrado pelo treinador e pelo presidente, o principal objectivo do FC Porto é voltar a sagrar-se campeão nacional. Corrida onde segue imbatível.

É aí que está o verdadeiro propósito desta temporada.

Para isso é obrigatório vencer o Rio Ave e não perder com o Estoril.

Nada como dois bons desafios para esquecer uma má noite.

A DESCER

VIEIRA, O BENFICA E A JUSTIÇA

É uma relação a três muito complicada.

O presidente do Benfica é arguido há vários anos nos casos BPN e BES. Na semana passada passou a ser arguido na Operação Lex e na quarta-feira foi constituído arguido no caso dos “capangas” da Vila das Aves.

O Benfica está a ser investigado por vários crimes, incluindo o de corrupção, no caso dos e-mails, no caso dos vouchers e no caso da compra de resultados. Também está a ser investigada a hipótese de o clube ter um informador dentro da justiça.

É muito fumo para não haver fogo. E para o Benfica não sair, pelo menos, chamuscado disto tudo.

 

EM QUEDA LIVRE

ARBITRAGEM

Em casa onde não há pão (qualidade) todos ralham e ninguém tem razão.

Já estava habituado à gritante dualidade de critérios aplicada pelos árbitros portugueses consoante a cor das camisolas e a dimensão dos clubes; depois tive de me habituar à duplicidade que passou a chegar do VAR (um bom sistema, caro, mas que está a ser mal utilizado, sendo a matéria prima a mesma…); agora sou obrigado a assistir à disparidade de critérios nas explicações a que temos direito.

Eu percebo as diferenças, as subtilezas e as nuances.

Mas não me venham dizer que somos todos iguais, pois é nítido que há uns que são mais iguais que outros.

E ainda agora começou o Juízo Final.