EM ALTA

SÉRGIO CONCEIÇÃO

Liderou a equipa na ressaca do desaire europeu e comandou-a no ataque aos dois jogos seguintes que exigiam uma vitória e a manutenção da invencibilidade.

Fê-lo com a sageza e a coragem dos melhores e a equipa respondeu-lhe com duas vitórias avassaladoras, marcando 8 golos e não sofrendo nenhum, num jogo e meio.

Aqueles 45 minutos com o Estoril vão ficar para a história.

O FC Porto sai deste período com a liderança do campeonato reforçada para uma margem de 5 pontos e com o melhor ataque e a defesa menos batida da prova.

 

A SUBIR

SOARES

Começou a época a titular indiscutível, mas uma lesão, e depois outra, atiraram-no para fora da equipa. Depois de totalmente recuperado foi entrando pouco a pouco na equipa, foi ganhando minutos de utilização e foi começando a criar oportunidades.

Quando o primeiro golo apareceu, teve o azar de um erro de Soares Dias o ter anulado (frente ao Sporting, na Taça da Liga). Saiu indisposto consigo próprio e com o resto do mundo.

Soube ultrapassar esse momento e, com a ajuda do seu treinador, voltar ainda com mais vontade de triunfar: foram 7 golos em cinco jogos; bisou nos últimos três jogos do campeonato e, com 6 golos, é o 2º melhor marcador do campeonato na 2ª volta. Apenas Fabrício fez melhor, marcando 7.

 

ESTÁVEL

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

O pluralismo é um dos principais pilares de uma sociedade livre e informada.

Assisti ontem ao programa “Verde no Branco”, da Sporting Tv, com a presença do seu presidente e que debateu, entre outros, temas como “manipulação” e “mau jornalismo vs bom jornalismo”.

Um dos comentadores era José Ribeiro, ex-editor chefe do jornal Record e que actualmente trabalha na comunicação do Sporting.

Meus amigos, se querem saber como funciona a redacção do Record, como recebem recados e ordens do Benfica, qual é o papel do director-adjunto Nuno Farinha, quem é o moço de recados, quem pressiona quem, como funcionam as fontes anónimas, as altas e as oficiais, quem impôs ao jornal o comentador de arbitragem Jorge Faustino, então não percam o pedaço que foi para o ar mais ou menos entre as 22h30 e as 23h00.

É triste, mas é elucidativo!

 

A DESCER

SPORT TV

O que se passou Sport TV?

Agora põem linhas tortas?

Agora na análise de um possível fora de jogo param as imagens com a bola já no ar?

O momento que conta não é aquele em que a abola parte?

O que salvou, desta vez, a verdade desportiva é que o VAR não tem acesso a linhas.

O primeiro golo que o FC Porto marcou no Estoril é limpo.

 

EM QUEDA LIVRE

O CÓDIGO DE SILÊNCIO DA ARBITRAGEM

Os árbitros estão proibidos de comunicar.

Não podem explicar ou esclarecer as decisões que tomam. Não podem elucidar o público sobre as regras e sua interpretação. Não podem interagir com a sociedade, com o mundo que os rodeia.

O Presidente do Conselho de Arbitragem não comunica. Condescende em receber os clubes duas vezes por ano e no timing que bem entender.

A APAF lá vai falando mas parece que o faz sempre mais de acordo com os interesses de uns do que de outros.

As notas dos jogos são secretas. Os relatórios são maioritariamente secretos. Os critérios de nomeação são insondáveis.

Vivemos na era da comunicação e num mundo global, mas há classes que preferem manter-se à parte.