EM ALTA

TRANSPARÊNCIA

As explicações que ontem foram dadas por Paulo Nunes de Almeida, presidente do Conselho Fiscal do FC Porto, no programa do Porto Canal, Universo Porto da Bancada, sobre o pagamento feito ao Estoril foram lapidares pela sua clareza, pormenor, transparência e sobriedade e deviam servir de exemplo para todo o futebol português.

Também deviam fazer muita gente corar de vergonha pelas enormidades e pelas falsidades que andaram a propalar e que visavam denegrir a imagem do FC Porto. Em especial o Jornal A Bola e a CMTV.

A SUBIR

SEMANA EUROPEIA

O FC Porto terminou com dignidade, e preservando o seu enorme prestígio, a participação na Liga dos Campeões desta época ao empatar em casa do Liverpool.

O Sporting iniciou da melhor forma a participação nos 1/8 final da Liga Europa vencendo em Alvalade o Plzen por 2-0.

São pontos preciosos para o futebol nacional.

ESTÁVEL

ESTADO DE DIREITO

O primado da lei e o edifício da Justiça portuguesa encontram-se neste momento perante um duro teste à sua seriedade, à sua resiliência e à sua capacidade de reacção.

Há juízes, procuradores, advogados e funcionários de justiça envolvidos em casos graves de suspeita de corrupção e outros crimes (operações LEX, FIZZ, E-TOUPEIRA,…).

Se cada um souber assumir as suas responsabilidades neste combate com certeza que no final sairemos todos mais fortes e mais confiantes nas instituições e no país.

A DESCER

JOSÉ MANUEL MEIRIM

Alguns destes processos também envolvem o futebol português e muitos dos principais dirigentes do Benfica.

É um autêntico turbilhão, perante o qual os responsáveis pela justiça desportiva se fingem de mortos.

Atitude que contrasta com a diligência com que actuam quando se trata de abrir inquéritos a outros clubes.

A justiça desportiva também está em cheque.

EM QUEDA LIVRE

BENFICA

Espionagem, Senhor Director do Departamento Jurídico do Benfica, Dr. Paulo Gonçalves?

Espionagem, Senhor Presidente do Benfica, Sr. Luís Filipe Vieira?

O Benfica tinha (e ainda tem?) “toupeiras” dentro do próprio sistema judicial que subornava para obter informação que deveria ser inacessível?

Era por isso que diziam que andavam dez anos à frente de todos os outros?

Usando estes métodos, não duvido.

Mas também sei que assim conspurcaram o nome da instituição que deviam defender.