EM ALTA

SELECÇÃO NACIONAL SUB-19

 

A jovem selecção portuguesa sagrou-se, com todo o mérito e justiça, campeã europeia

na prova disputada na Finlândia.

Era um troféu que faltava a Portugal e que vem evidenciar o excelente trabalho que aqui

se faz no futebol de formação.

Esta geração já tinha vencido o campeonato da europa de Sub-17 e vence de seguida o

de Sub-19. São muitos os valores que a compõem mas é, sobretudo, no forte espírito de

grupo que está o suporte principal desta equipa.

É justo relembrar, até porque valoriza ainda mais esta conquista, que vários jogadores

ficaram de fora da convocatória por lesão ou por já estarem ao serviço da equipa

principal dos respectivos clubes. E já dentro da própria competição houve jogadores que

perderam a titularidade por lesão ou castigo. Há, de facto, muito talento nesta geração.

 

A SUBIR

DIOGO LEITE

 

É verdade que perdeu a possibilidade de ser campeão europeu pela selecção nacional

Sub-19, mas agarrou com as duas mãos a oportunidade que lhe surgiu no seu clube.

E é sempre bom lembrar que outros que fizeram o mesmo sacrifício acabaram por ter a

devida recompensa: Vítor Baía e a ausência do campeonato do mundo Sub-20 de 1989.

Para já, o central portista viu o seu contrato ser prolongado por mais dois anos e a sua

cláusula de rescisão subir de 15 para 40 milhões de euros.

E tem a forte possibilidade de ser titular no primeiro jogo oficial do FC Porto nesta

temporada, na Supertaça, sábado, frente ao Aves.

 

ESTÁVEL

DESPORTIVO DAS AVES

 

O clube da Vila das Aves (concelho de Santo Tirso, cidade com a qual mantém uma

acentuada rivalidade) terminou a época a disputar e a vencer a Taça de Portugal frente

ao Sporting e começa a nova temporada a disputar a Supertaça com o FC Porto.

É difícil de imaginar um cenário mais idílico do que este. Aliás, duvido mesmo que haja

muitos avenses que tenham sequer sonhado com uma caminhada tão fulgurante quanto

esta: subida à I Liga, manutenção alcançada pela 1ª vez na sua história, 1ª final da Taça,

conquista do troféu e, agora, presença no jogo decisivo da Supertaça.

Vai ser um grande jogo.

 

A DESCER

BENFICA

 

O presidente do clube veio apelar à paz no futebol português. Mas na realidade

não estava a ser sincero.

Esta nova época vai aquecer, e de que maneira!

Ainda estamos na pré-época e o Benfica já acusou, sem fundamento, a Federação e a Liga de revelarem contratos de jogadores do clube.

Fez regressar à BTV, após um curto período de nojo, o anterior comentador independente da CMTV e autor da cartilha, Carlos Janela.

Finalmente, ontem, assistimos atónitos ao lançamento da suspeição generalizada sobre todo o futebol português. Um antigo opositor de Luís Filipe Vieira e hoje vice-presidente de segunda linha do Benfica veio disparar para todos os lados e pôr

em causa a honorabilidade das pessoas que, na sua perspectiva aparente, deve ser aferida pelo clube de que serão adeptos.

Lamentável.

 

EM QUEDA LIVRE

BRUNO DE CARVALHO

 

Fim da linha para o ex-presidente do Sporting.

Não é possível atropelar, obstruir e subverter ininterruptamente e sem consequências a

ordem legal.

Primeiro a destituição, agora a suspensão.

Mesmo que as coisas venham a correr menos bem ao clube julgo que será muito

improvável o regresso de Bruno de Carvalho. Não que ele não vá tentar por todos os

meios. Mas os prejuízos causados são de tal monta (e ainda não totalmente calculados),

sobretudo aqueles que afectaram directamente a imagem e a credibilidade do Sporting,

que perdurarão, de facto e na memória dos sportinguistas, por muitos e bons anos.

Convém, no entanto, não esquecer que no futebol “o que hoje é verdade, amanhã é

mentira”.

Seja como for, para já, e pelo menos durante cinco anos, esse caminho está-lhe vedado.