EM ALTA

FERNANDO PIMENTA

O canoísta português, natural de Ponte de Lima, arrecadou duas medalhas de ouro nos Mundiais de canoagem que decorreram em Montemor-O-Velho, Coimbra.

Fernando Pimenta venceu as provas de K1 1000 (prova olímpica) e K1 5000 (bi-campeão mundial) e sonha agora com o ouro nos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio.

Uma palavra para a muito elogiada organização da prova pela Federação Portuguesa de Canoagem, que soube capitalizar as excepcionais condições que foram criadas no rio Mondego, e que tem já pela frente (6 a 9 de setembro) um novo desafio: a organização dos Mundiais de maratona, que se vão realizar em Prado, Vila Verde.

A SUBIR

LIGA DOS CAMPEÕES

O Benfica juntou-se ao FC Porto na fase de grupos da competição, eliminando de forma clara o PAOK (que nunca chegou à fase de grupos) com uma goleada na Grécia.

Portugal vai contar, assim, com duas equipas na edição deste ano da competição, cujo sorteio se realizou ontem e que não foi madrasto para nenhuma das duas equipas: ambas têm francas possibilidades de se apurarem para os 1/8 de final, embora o grupo do FC Porto seja algo mais equilibrado.

O FC Porto é recordista de participações, juntamente com Real Madrid e Barcelona, e tem mais jogos realizados na prova do que os outros clubes portugueses todos juntos: 178 jogos contra 94 do Benfica, 50 do Sporting, 18 do Boavista e 12 do Braga. É, também, a única equipa portuguesa que tem mais vitórias do que derrotas em jogos da Liga dos Campeões: 74/59 contra os 33/38, 14/28, 4/8 e 4/8 dos outros clubes.

ESTÁVEL

SPORTING

Passo a passo lá continua a fazer o seu caminho.

Num cenário catastrófico e com muitas limitações soube reconstruir, com labor, dedicação e competência, um plantel que não envergonha a história do clube e que se tem mostrado competitivo. Claro que existem algumas lacunas, que se notarão mais à frente, mas quantas mais vitórias e bons resultados forem conseguidos mais consistente ele se tornará.

Para já são duas vitórias e um empate, na Luz, frente ao Benfica. Melhor era difícil.

A DESCER

CONSELHO DE DISCIPLINA

O mesmo órgão que instaura um processo ao Brahimi contra todas a s evidências e depois de a Comissão de Instrutores da Liga recomendar o seu arquivamento é o mesmo que se mantém inerte perante a avalanche de processos judiciais que envolvem o Benfica. Mesmo agora que a SAD foi constituída arguida no processo e-toupeira. Não quererá José Manuel Meirim inteirar-se dos crimes que terão sido praticados pelo Benfica? Não achará relevante averiguar que influência terão tido na verdade desportiva? Na integridade da competição da qual devia ser o último garante?

EM QUEDA LIVRE

BENFICA

A SAD do clube lisboeta foi constituída arguida no processo e-toupeira, que investiga suspeitas de crimes de corrupção, violação do segredo de justiça, peculato, favorecimento pessoal e acesso ilegítimo.

É um momento negro na história centenária do clube. O seu bom nome e reputação já estavam afectados pelos múltiplos processos de que é alvo e cuja investigação vai avançando. Mas agora chegou a altura em que essas investigações têm uma primeira consequência prática: o clube passou à condição formal de arguido.

É o próprio Benfica, e já não só Paulo Gonçalves, que está sob a alçada da Justiça neste processo.

Os indícios devem ser tão fortes que já há pessoas muito próximas do clube a ensaiar a seguinte defesa desesperada: há crime, mas ele não é desportivo.