EM ALTA

FC PORTO

 

125 anos é uma data muito especial. São muitos anos a fazer história, sempre ao serviço da cidade, da região e do país. Poucas instituições levaram tão alto o nome da terra que as viu nascer. O Porto e Portugal também são o que são graças ao FC Porto, o clube mais internacional de todos os clubes nacionais. Poder comemorar este aniversário especial com as faixas de Campeão Nacional e a Supertaça no bolso é a chamada cereja em cima do bolo.

 

A SUBIR

TIGER WOODS

 

O golfista norte-americano voltou às vitórias no PGA. Cinco anos após a última conquista e depois de uma década de convulsões físicas e pessoais (onde literalmente andou pelas ruas da amargura, misturando divórcio, álcool, drogas e lesões), está de volta ao topo. No golfe nunca ninguém ganhou tanto como ele e nunca ninguém venceu durante tanto tempo. Tiger Woods é um dos maiores desportistas de sempre e é um privilégio poder assistir a este regresso absolutamente notável. Este fim de semana há Ryder Cup em Paris e, obviamente, lá está ele como escolha do capitão norte-americano a fazer parte da equipa que defronta a Europa. A não perder!

 

ESTÁVEL

LUISÃO

 

Não se pode dizer que saia em alta, mas também não é justo dizer que sai pela porta pequena. Foram muitos anos ao serviço do Benfica e grande parte deles como capitão. Não sendo um futebolista extraordinário, foi um simbolo, um líder e um esteio sobre o qual foram construídas várias equipas do Benfica. Merece uma despedida digna, à imagem do que foi a sua carreira no clube.

 

A DESCER

JOÃO PAULO REBELO

 

O secretário de estado do Desporto e da Juventude confirmou na Assembleia da República que enviou um sms a Lìdia Praça, membro do conselho directivo do IPDJ, para que esta entrasse em contacto com o advogado do Benfica para resolverem o problema da interdição do estádio da Luz. Tudo ao contrário. Um membro de um governo deve actuar de forma isenta e equidistante e não pode intervir ou pressionar para um dos lados. Não foi isto que João Paulo Rebelo fez e, por isso, já não tem condições para continuar no cargo. Aliás, já tinha perdido essa condição com a confusão que foi o processo de demissão e nomeação dos novos directores do instituto.

 

EM QUEDA LIVRE

PAULO GONÇALVES/BENFICA

 

O processo que levou ao seu afastamento do clube é, e continua a ser, uma farsa. É um esquema artificial que visa apenas interesses estratégicos do Benfica. A prova é que o dirigente benfiquista voltou esta semana às instalações da SAD para tratar da defesa do clube num processo em que este foi condenado pela FIFA e de que o Benfica vai recorrer para o TAD, bem como o facto de ter estado no seu lugar habitual no camarote presidencial do Benfica durante o jogo com o Bayern. Recordando Lampeduza, “tudo deve mudar para que tudo fique na mesma“.