EM ALTA

FC PORTO

Semana muito positiva para os azuis e brancos. Goleada (0-6) na Taça de Portugal, em dia de grande festa popular em Vila Real, e vitória em Moscovo (1-3) na 3ª jornada da Liga dos Campeões. No jogo da Taça, Ádrian Lopez foi o rei com um poker (inédito) de golos (4). Na Liga dos Campeões emergiu a única equipa portuguesa com estofo europeu nesta altura. Foi uma vitória baseada na experiência, na eficácia e, precisamente, na consciência dessa dimensão europeia. Esta vitória, única fora de casa nessa noite europeia, fortalece a posição do FC Porto no seu grupo e lança-o para a qualificação para os 1/8 de final com a possibilidade de o fazer no primeiro lugar do grupo. O que pode dar a possibilidade de ir ainda mais longe na competição.

A SUBIR

LIGA NOS

Um fim-de-semana que começa com um Vitória de Guimarães x Braga, que termina com um Sporting x Boavista, que pelo meio tem um FC Porto x Feirense e um Belenenses x Benfica e no qual ainda podemos assistir a um Rio Ave x Chaves, é, sem dúvida alguma, uma boa propaganda ao futebol luso, que pode levar mais gente aos estádios e que nos leva a por a hipótese (ou a ter a esperança) de o nosso campeonato não ser assim tão fraco. Havendo alguma competitividade interna o que é que falta para que não sejamos uns parentes pobres na europa? Mais do que nos clubes, essa responsabilidade está nas mãos da Federação (dentro dos organismos europeus) e do Governo (supervisão e fiscalidade).

ESTÁVEL

VAR

Incrível a velocidade a que esta nova tecnologia se impôs e a falta que ela já faz onde ainda não foi aplicada. Basta olharmos para estes três dias de competições europeias para percebermos logo a importância do sistema de vídeo-árbitro. Pelo menos uma mão cheia de resultados ou diferenças no marcador poderiam ter sido diferentes. A UEFA não pode perder mais tempo na sua implementação sobre pena de ficar para trás e as suas competições perderem credibilidade.

A DESCER

SECRETÁRIO DE ESTADO DO DESPORTO

João Paulo Rebelo, o “boy” que António Costa manteve no governo, demonstrou uma vez mais a sua incompetência e ineptidão para o cargo que ocupa. É no seu mandato que o desporto nacional sofre mais uma derrota e vê manchada a sua credibilidade. A Agência Mundial Antidopagem retirou a credencial ao Laboratório de Lisboa, impedindo-o de fazer análises internacionais. Ou seja, as análises anti-doping nas provas internacionais que se realizem em Portugal têm de ser enviadas para outros laboratórios, noutros países europeus. O laboratório estava suspenso há dois anos, como não se fez o suficiente para recuperar a sua credibilidade, perdeu a creditação em definitivo.

EM QUEDA LIVRE

BENFICA

Há uma clara divergência entre o que é dito e aquilo que é a realidade. Não se obtém nível europeu por decreto. Nem pelo número de simpatizantes. É preciso, antes de tudo o mais, ter essa mentalidade. É obrigatório que todos e que cada um dos elementos que trabalha com a equipa de futebol tenham essa aspiração e esse espírito. Depois é preciso enfrentar cada jogo com a verdadeira intenção de o vencer. No final, até se pode perder, até mesmo ser goleado, mas tem de existir uma identidade, uma vontade intrínseca de ganhar. Só assim se poderá chegar à vitória no jogo seguinte. O percurso do Benfica é o inverso disto: nos últimos dez jogos só venceu um (e em quantos deles quis mesmo ganhar?) e em três anos passou de 6º para 21º no ranking europeu.