EM ALTA

VÍTOR PEREIRA

Depois de se sagrar bicampeão em Portugal ao serviço do FC Porto e de vencer o campeonato grego pelo Olympiacos, o treinador português acabou de se sagrar campeão nacional na China ao serviço do Shangai SIPG. É um feito que merece destaque porque o clube nunca tinha sido campeão chinês, e já o tentava há vários anos, porque a Superliga chinesa é altamente competitiva, com capacidade para investir em jogadores de grande qualidade e porque não são muitos os treinadores portugueses que já somaram títulos em tantos campeonatos diferentes. Mourinho, Artur Jorge e poucos mais. Vítor Pereira é um treinador de excelência e se trabalhar um pouco mais a sua imagem pode voar ainda mais alto!

A SUBIR

FOOTBALL LEAKS

Continuam a ser revelados documentos altamente comprometedores para a FIFA e a UEFA no período Infantino. Desta vez ficámos a saber que a UEFA fechou os olhos aos investimentos estatais russos em clubes do seu campeonato, que assim receberam investimentos e capital que as regras do Fair-play financeiro não permitiam. O maior prejudicado com esta concorrência desleal foi o futebol português que, também por esta razão, perdeu um lugar na Liga dos Campeões. Estas revelações são muito importantes porque expõem a práctica de ilegalidades e porque permitem que se possa repor a verdade e a justiça. Só em Portugal é que se continua a dar mais relevância às fugas de informação do que aos crimes que elas revelam!

ESTÁVEL

ESTADO DE DIREITO

A existência de uma sociedade saudável depende muito da percepção que os cidadãos têm de que existe justiça. Ou seja, que existem leis, que elas são cumpridas e que quem não as respeita é punido por tal. Também é muito importante que a lei se aplique a todos da mesma maneira. Esta semana ficámos com a ideia que a Justiça existe e que se move. O que já não é nada mau comparando com o tempo em que justiça significava prescrição, encobrimento ou destruição de prova. Claro que a sua actuação pode ser criticada e pode ter melhores ou piores decisões, mas o fundamental é que se perceba que o seu andamento é equidistante e tem por base e finalidade o cumprimento dos preceitos legais. Assim tem sido por estes dias com os processos BPN, LEX, E-toupeira e Alcochete. Aguentará a pedalada?

A DESCER

DIRECTOR JORNAL RECORD

António Magalhães resolveu mentir e enganar os seus leitores. E quando já tinha passado mais de uma semana sobre as notícias. Não senhor director, os administradores da SAD do FC Porto não são arguidos no processo dos Emails. Bem pelo contrário! Podem é, eventualmente, ter contribuído para a descoberta da verdade. A SAD do Benfica, essa sim, arguida no processo E-toupeira e investigada em muitos outros processos judiciais, é que se sentiu ofendida e apresentou uma queixa por ofensa e difamação ao seu nome. É daqui que decorre o estado jurídico dos administradores portistas.

EM QUEDA LIVRE

ARBITRAGEM

A décima jornada da I Liga ficou marcada por erros graves de algumas equipas de arbitragens. O Sporting beneficiou de uma expulsão e de um penálti inexistentes decididos por Tiago Martins; em Tondela, João Pinheiro “confundiu” um pedido de desculpas e um “cachaço” com uma agressão e pôs o Benfica em vantagem numérica aos 50 minutos e quando o jogo ainda seguia empatado não viu um pisão de Seferovic a Jorge Fernandes na área do Slb e não assinalou a respectiva grande penalidade. Tudo isto perante a complacência e com a conivência dos respectivos VAR. Esta benevolência e esta dualidade de critérios estende-se a alguns ex-árbitros e actuais comentadores de arbitragem que não poucas vezes analisam os lances consoante as cores das camisolas. Onde pára a verdade desportiva?