EM ALTA
PEPE

É, até ao momento, a grande transferência do futebol europeu no mercado de inverno. Central de gabarito internacional e cobiçado por grandes clubes europeus, assinou contrato pelo FC Porto por duas épocas e meia. Os azuis e brancos reforçam de forma substancial o eixo da defesa e abrem uma panóplia de opções para o seu treinador (simples troca de posições, deslocamentos, defesa a três). A vontade de ganhar o bi-campeonato e ir longe na Liga dos Campeões é muito grande.

A SUBIR
ÉDER MILITÃO

Considerado pela Liga o melhor defesa central do campeonato pelo quarto mês consecutivo, ou seja, desde setembro, mês em que chegou, o brasileiro é a pérola (já muito pouco) escondida do futebol europeu e vai fazer algum tubarão abrir os cordões à bolsa. E até podia ter sido já neste mercado, não fora a habitual argúcia negocial portista (aumentando a cláusula durante o mês de janeiro) e o enorme empenho no já mencionado bi-campeonato.

ESTÁVEL
FC PORTO

A equipa do FC Porto vai a Alvalade perfeitamente tranquila. O Sporting encarregou-se de deixar três pontos em Tondela e o Braga dois em Portimão (excelente campeonato do Portimonense) e, nesta altura, o pior cenário é vir do jogo com os leões com quatro pontos de vantagem sobre o segundo lugar. Para fim de primeira volta não está nada mal. Mas é possível fazer melhor!

A DESCER
RUI VITÓRIA

Sai pela porta pequena do Benfica, refugia-se num campeonato de quinta categoria e entra em hibernação. Não vai ser fácil a sua carreira a curto/médio prazo uma vez que é um treinador sem um currículo robusto. Ou tem a coragem de dar um passo atrás, como Paulo Fonseca, ou andará por clubes menores durante muitos anos.

EM QUEDA LIVRE
BENFICA

Neste Benfica tudo é encenação. E meias palavras. E as verdades oficiais vão-se sucedendo. O importante é fazer a cabeça dos adeptos. E para isso conta com a colaboração de alguma imprensa sem coluna vertebral. A realidade é que, nesta altura, ninguém quer treinar o Benfica. Pelo menos nenhum treinador com um currículo sólido, ou em percurso ascendente, ou que se queira lançar de forma consistente ou, ainda, que não queira terminar a carreira na Luz. Nem Paulo Fonseca, nem Leonardo Jardim, nem Rui Faria, nem Mourinho. Nem muitos outros.