Se o jovem que foi detido for o suposto hacker que pôs a nu as supostas manigâncias do Benfica, então isso é uma excelente notícia.

Agora as autoridades podem ter acesso total e directo aos emails, confirmar a sua veracidade e usá-los como meio de prova nas investigações que estão a ser realizadas e que, nas palavras do próprio Ministério Público, revelam tratar-se de “crime altamente organizado”.

A justiça desportiva, ainda imóvel, também deve estar muito atenta a estes desenvolvimentos.