EM ALTA

VAR

Não há modo mais eficaz de valorizarmos algo do que sentirmos a sua falta quando esse algo não está disponível. Foi o que se passou com o VAR: bastou uma noite, uma eliminatória da Taça de Portugal e dois jogos para constatarmos e reafirmarmos a sua importância e contribuição decisiva para a verdade desportiva.

A SUBIR

HERNÂNI

O jogador está a fazer a sua melhor época desde que chegou ao FC Porto e tem sido absolutamente decisivo na carreira da equipa. Na Taça de Portugal contribuiu com um golo para a vitória frente ao Moreirense por 4-3 e marcou o golo decisivo frente ao Leixões na terça-feira passada; na Taça da Liga marcou o golo portista no empate a uma bola frente ao Chaves que foi vital no apuramento para a final a 4; no campeonato, marcou aos 95 minutos o golo da vitória frente ao Boavista no estádio do Bessa.

ESTÁVEL

SPORTING

Apesar dos resultados negativos, derrota em Tondela e empate caseiro com o FC Porto, e da postura defensiva e pouco ambiciosa que demonstrou neste jogo (em que ficou a oito pontos do líder), a verdade é que pode continuar a dizer que está em todas frentes e a lutar por elas. A meio da semana qualificou-se para as ½ finais da Taça de Portugal e vai agora disputar com o Benfica e com o Braga a presença na final das taças: da Liga e de Portugal.

A DESCER

DECISÃO INSTRUTÓRIA E-TOUPEIRA

A decisão da juíza Ana Peres está tomada, o Ministério Público vai dela recorrer para o Tribunal da Relação e eu, embora não a compreenda, não a vou pôr em causa. Seja como for, não deixo de considerar uma decisão com pouca aderência à realidade. E esta semana tomámos conhecimento de novos factos que reforçam esta minha ideia. Ficamos a saber que o Benfica escondeu as suas contas aquando de uma das várias buscas da PJ de que já foi alvo. E nunca mais as entregaram. Até à busca seguinte. Ora, o Benfica foi avisado pela toupeira das buscas que iam acontecer e dos objectivos das mesmas. Da primeira vez não mostraram nada, da segunda mostraram o que quiseram? Eis o esquema a funcionar na perfeição: funcionário judicial, Paulo Gonçalves, Benfica. Querem um nexo de causalidade mais evidente do que este?

EM QUEDA LIVRE

PORTUGAL CONDICIONADO

Nestes últimos dias, a propósito da detenção do hacker Rui Pinto, temos assistido àquilo a que muitos chamam de “benfiquistão” a funcionar em pleno. É o nosso país, mas numa versão paralela, de fantasia, de realidades alternativas, de desinformação, de notícias falsas, de intoxicação informativa, de condicionamento da percepção que as pessoas têm da realidade. É triste, mas é verdade. O Benfica põe e dispõe. Grande parte da imprensa colabora. O país verga-se.