1.      O FC Porto derrotou o Belenenses por 3-0 e segue isolado (+5) na liderança do campeonato. Os portistas fizeram um bom jogo e demonstraram que só por um acaso não venceram a Taça da Liga. Percebia-se perfeitamente que o trajecto das duas equipas que disputaram a final é bem diferente e os resultados (e as exibições) desta jornada demonstraram-no com clareza. Aliás, julgo que nenhum portista trocava esta vitória e estes três pontos por uma vitória no jogo de sábado passado.

 

2.      O FC Porto continua a demonstrar uma frescura física invejável para quem anda a jogar duas e três vezes por semana. É um plantel motivado, focado e empenhado em vencer todos os jogos que tem pela frente. Os três reforços de inverno, Pepe, Fernando Andrade e Manafá, vieram aumentar o leque e a qualidade das opções e os regressos de Danilo, Otávio e Maxi Pereira vão ser muito importantes para mais um mês de intensa competição que agora começa. No final deste mês já se poderá perspectivar o futuro com mais clareza.

 

3.      Sérgio Conceição manteve o mesmo onze dos últimos jogos, com a excepção de Casillas e Soares, reforçou a confiança nos seus jogadores e estes retribuíram com um excelente jogo. O FC Porto teve uma entrada fortíssima e aos 5 minutos já estava em vantagem no marcador. Foi uma entrada a lembrar os melhores períodos da época passada: pressão alta, intensidade e profundidade de jogo, chegar cedo ao primeiro golo e aumentar a vantagem ainda dentro da primeira parte. O Belenenses é uma boa equipa mas não resistiu a esta demonstração de força portista.

 

4.      Toda a equipa esteve muito bem e assistimos a belíssimas exibições individuais (Militão, Alex Telles, Herrera, Brahimi, Corona) mas o jogador que mais se destacou foi Óliver. E não, não lhe estou a dar moral depois daquele lance infeliz em Braga. Ele é que me deu moral a mim, e muito! Que grande exibição e que demonstração de classe. Sempre de cabeça levantada, recuperou bolas, ganhou duelos, lançou ataques, mudou várias vezes o sentido do jogo, fez passes teleguiados, fez a assistência para o terceiro golo e esteve na construção do segundo. Grande jogo e, juntamente com Herrera, a demonstrar grande pulmão.

 

5.      As bolas paradas continuam a ser um dos pontos fortes desta equipa. Sérgio Conceição continua a trabalhar muito este tipo de jogadas e a imaginação não tem limites. Ontem assistimos a mais um resultado notável desse trabalho na marcação do livre que deu origem ao segundo golo da equipa, marcado por Militão. Não conheço outra equipa na Europa que trabalhe tão bem este tipo de jogadas e que demonstre tamanha criatividade e eficácia. É um trabalho de excelência!