EM ALTA
RUI PINTO

O denunciante português do Football Leaks e de outros documentos relevantes deu uma entrevista a vários órgãos de comunicação estrangeiros – Der Spiegel, Mediapart e ao canal público alemão NDR – e da qual o jornal Expresso nos oferece desde já uma versão resumida. Entre outras coisas, Rui Pinto diz o seguinte: “As autoridades europeias deviam ver o que eu tenho no meu computador. Mas as autoridades portuguesas não, porque não querem investigar os crimes, apenas querem usar o material que encontrei contra mim. Portugal sabotou todas as investigações europeias que estavam em curso apenas por ter medo de que eu saiba demasiado e de que partilhe esses dados com jornalistas ou outros países. Acho que Portugal quer apenas silenciar-me.” Afirma também que em Portugal apenas o querem denegrir. São afirmações muito graves e que exigem de todos nós a maior das atenções. O que é privado, deve manter-se privado. Mas o que é crime deve ser exposto. Especialmente a corrupção, que mina todos os dias os alicerces da nossa sociedade.

A SUBIR
VAR

Julgo que poucos duvidam de que a vídeo-arbitragem veio para ficar. Apenas aqueles que ainda se tentam agarrar a um passado em que tudo era decidido pela calada e de forma ilícita esboçam uma resistência. O VAR não acaba com os erros de arbitragem, mas redu-los de forma drástica. E torna o erro mais democrático. O quadro de árbitros deixado por Vítor Pereira e Ferreira Nunes é globalmente fraco e tem muitas limitações. Há alguns árbitros com potencial e que podem melhorar substancialmente, mas vai demorar alguns anos até se dar uma renovação geracional e ficarmos com um quadro de árbitros de qualidade.

ESTÁVEL
SPORTING

Podia estar em ALTA por ter vencido a Taça da Liga mas podia estar A DESCER por ter empatado em Setúbal. Assim, fica a meio da tabela. O Sporting venceu a segunda Taça consecutiva sem ganhar um único jogo. Foram quatro empates, todos decididos nas grandes penalidades. Nesta última final, foi ainda um outro penalti, que caiu do céu, a levar o jogo para o desempate dessa forma. No campeonato continua a tendência para falhar quando se aproximam jogos decisivos: antes de receber o FC Porto, perdeu em Tondela, esta jornada, antes de receber o Benfica, empata em Setúbal. É pouco. E não é compensado pela conquista do fim-de-semana. Mas o segundo lugar ainda é possível.

A DESCER
CONSELHO DE DISCIPLINA

Já passaram 10 dias desde que Luís Filipe Vieira substituiu Bruno de Carvalho no papel de incendiário do futebol português e ainda não ouvimos um murmúrio a José Manuel Meirim, presidente do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, nem vislumbramos um sinal, ténue que fosse, que nos indique que vai instaurar um processo disciplinar ao presidente benfiquista. Vieira condicionou a arbitragem portuguesa, coagiu um dos seus elementos, que se viu obrigado a afastar, e pôs em causa a imparcialidade e a liberdade de quem vai dirigir os próximos jogos do seu clube e os dos seus adversários. A bem da competição o castigo deve ser exemplar. Este comportamento é de tal maneira grave que até justificaria uma reunião de emergência. O silêncio do órgão disciplinar começa a ser de tal maneira ensurdecedor que põe em causa a sua própria independência e credibilidade.

EM QUEDA LIVRE
PEDRO HENRIQUES

O comentador de arbitragem do operador que transmite quase todos os jogos da I Liga foi afastado do cargo. Tudo porque se descobriu que recebia uma avença do Sporting para dar formação técnica sobre arbitragem. Esse tipo de formação tem de ser solicitado e fornecido pela Federação. Eu acho que há uma incompatibilidade insanável: o homem que dita o juízo final não pode trabalhar nem receber de nenhum dos clubes que intervém na competição. Só uma coisa me intriga e ainda (que eu saiba) não foi esclarecida: a Sport TV sabia dessa avença? E, se sabia, porque é que só agora prescinde de Pedro Henriques? Foi pressionada para tal? Se sim, por quem? Com que objectivo? É que para papista já o tínhamos a ele.