EM ALTA

COMPETIÇÕES EUROPEIAS

O FC Porto perdeu em Liverpool mas mantém todas as possibilidades de ultrapassar mais uma eliminatória da Liga dos Campeões. Em Anfield Road, os portistas defrontaram um dos mais fortes candidatos a vencer a prova, finalista da competição na época passada e actual líder da liga inglesa. O FC Porto demonstrou muita qualidade e ambição e, acima de tudo, um espírito de grupo fortíssimo e solidário. Com um pouco mais de eficácia, um pouquinho de sorte e uma equipa de arbitragem normal, os portistas podiam ter vindo de Liverpool com um resultado mais positivo. O Benfica venceu o Eintracht de Frankfurt por 4-2 e tem boas perspectivas de seguir em frente na Liga Europa. Apesar de tudo, a verdade é que a equipa benfiquista não foi capaz de aproveitar o facto de jogar em superioridade numérica durante mais de 70 minutos para fechar desde já o apuramento. A vantagem é boa, mas o jogo na Alemanha vai ser terrível.

A SUBIR

ESTÁDIO DA LUZ

O estádio do Benfica continua a subir em número de jogos de interdição e à porta fechada. Já são sete jogos de castigo e é óbvio que não ficará por aqui. As suas claques portam-se mal e não estão legalizadas mas o clube continua a dar-lhes apoio, o que é ilegal e vai ter consequências efectivamente duras. A Federação continua a fechar os olhos às decisões do seu próprio órgão disciplinar e a permitir que os castigos vão ficando em suspenso com os recursos, mas um dia chegarão. É verdade que já se fala em mudar a lei ou criar outra apenas para beneficiar o Benfica, mas esse benefício não pode ser retroactivo nem limpar o cadastro. Isto ainda não é ser o faroeste.

ESTÁVEL

CONSELHO DE DISCIPLINA

O trabalho do órgão disciplinar da Federação oscila bastante nos critérios e não é totalmente consistente, e por isso não está em posição de maior destaque, mas é justo creditar-lhe algumas boas decisões. Os castigos ao Benfica por causa do apoio às claques são a face positiva. Mas, por outro lado, abriu processos ao FC Porto e ao Feirense depois do jogo deste com o Benfica, e não fez o mesmo em relação a este clube em situações iguais. Noutra situação abre processo ao presidente do Braga por causa das declarações depois do jogo com o FC Porto, mas, que eu saiba, aquelas declarações incendiárias do presidente do Benfica no final do jogo da ½ final da Taça da Liga continuam por averiguar e punir. Outra decisão incongruente é o leve castigo a Rafa na sequência da eliminação do SLB da Taça de Portugal e a dureza do castigo a Ricardo Costa do Tondela, quando o que está em causa são palavras e actos ofensivos similares dos dois jogadores. Há, assim, muito por onde melhorar.

A DESCER

RUI SANTOS

É absolutamente escandaloso que alguém que ocupa um espaço nobre de comentário, numa televisão nacional, sem contraditório, se permita elaborar uma lista que, na minha opinião, é uma enorme falácia e um enorme logro para os telespectadores que a vêem. O critério é totalmente subjectivo, aleatório e inconsistente. E deixo aqui apenas um pequeno exemplo comparativo: no jogo do FC Porto em Braga há uma possível grande penalidade cometida sobre o Corona e outra possível cometida pelo Corona. Os especialistas dividem-se entre aqueles que consideram as duas faltas passiveis de grande penalidade e os que acham que nenhuma delas é falta. Ora, Rui Santos considera que só uma é penalti, a cometida pelo Corona. Vai daí retira dois pontos ao FC Porto. Já no jogo Feirense x Benfica, em que ele considera que o VAR devia ter chamado o árbitro principal a analisar a falta dentro da área benfiquista, e que este indo rever o lance com certeza que marcaria a penalidade, deixa tudo como está e não retira qualquer ponto ao Benfica. Enfim. E já nem falo dos outros jogos em que ele retira pontos ao FC Porto. Alguns são hilariantes na relação causa/efeito. Peço desculpa por me alongar mas não resisto a dar mais um exemplo do critério aplicado pelo senhor comentador: no Santa Clara x FC Porto, o segundo golo do Porto é marcado aos 56 minutos. Todos os especialistas (excepto talvez o da BTV) dizem que o golo é legal. Rui Santos, do alto da sua vaidade, decreta que esse golo é precedido de falta. Consequência: menos dois pontos para o FC Porto nessa liga que ele diz ser da verdade. Ou seja, para este comentador, o FC Porto não teria jamais capacidade de em mais de 30 minutos marcar outro golo! Por isso, golo mal validado aos 56 minutos implica menos dois pontos para o FC Porto quando ainda faltava jogar mais de meia hora! Fantástico!!!

EM QUEDA LIVRE

BRUNO PAIXÃO

Há mistérios indecifráveis. Este senhor passeia a sua incompetência pelos relvados do futebol nacional há mais de 20 anos. Agora num gabinete. Sozinho. Como é que isto é possível? Ao primeiro jogo a sério que fez viu-se logo o que era e ao que vinha. Aquela cara não engana ninguém. É sempre igual. Mesmo quando comete as maiores atrocidades, conserva aquele olhar inocente dos ignorantes. Que credibilidade pode ter um sector que o conserva e promove estes anos todos? Pelo menos serve como prova viva de que o FC Porto não controla o sistema, nem que este está alinhado para o beneficiar. Os proveitos vão sempre para outro lado!